Jean-Eric Vergne, da DS Techeetah

O Campeonato FIA de Fórmula E atravessa o Atlântico até Nova Iorque para cumprir, este fim de semana, nas ruas de Brooklyn, as duas rondas finais da temporada de 2018/2019. Quem está mais perto de se sagrar campeão é a equipa DS Techeetah e o piloto francês Jean-Éric Vergne.

Tendo sempre como palco traçados citadinos, as corridas deste campeonato 100% elétrico regressam, pelo terceiro ano consecutivo, ao coração de Brooklyn. O circuito com 14 curvas e 2,320 km de extensão está desenhado em torno do terminal de ferries, tendo como cenário a paisagem urbana de Manhattan.

Serão duas as corridas a disputar na Big Apple, as rondas 12 e 13 da época.

Atual líder do campeonato e campeão em título de Fórmula E, o francês Jean-Éric Vergne é quem está mais perto de se sagrar campeão, o que, se vier a ocorrer, torná-lo-á no primeiro duplo-campeão de sempre desta jovem modalidade.

Jean-Éric Vergne, piloto que corre com o número 25, afirma que “a época passou a correr e já estamos outra vez em Nova Iorque para terminar mais uma temporada. Tem sido um ano espetacular para toda a equipa, com o apoio do construtor, e demos mais um passo em frente. Pelo meu lado, existe, obviamente, o potencial de vencer outro campeonato e, para a equipa, a oportunidade de conquistar o título que esteve tão perto no ano passado. Não direi que preparámos algo de diferente para esta última corrida da temporada, porque isso vale o que vale. Fizemos os nossos preparativos habituais e abordamos esta corrida como qualquer outra ronda do campeonato, porque, no final de contas, o que importa são os pontos e, esses, são os mesmos em todas as corridas”.

Antes da dupla corrida de Nova Iorque, esta é a classificação dos 10 primeiros da geral:

Por sua vez, a DS Techeetah é a equipa que está, igualmente, mais próxima de vencer o título coletivo, ainda que tenha que enfrentar a concorrência da Audi Sport ABT Schaeffler, segunda classificada da geral e ainda a detentora do título.

E Mark Preston, diretor da equipa Techeetah, ainda não esqueceu o dissabor da temporada transata, referindo que “no ano passado chegámos a Nova Iorque nas mesmas condições, só que, desta vez, não vamos deixar escapar o Campeonato de Equipas. Perder por apenas dois pontos no ano passado foi bastante duro. Por isso, digamos que fizemos tudo para garantir que tal não acontece de novo. Queremos mesmo a vitória nas equipas”.

Por equipas, a classificação, antes das duas rondas em Manhattan, encontra-se ordenada do seguinte modo:

O Eurosport 1 transmitirá as duas corridas norte-americanas. Tanto a prova de 13 de julho como a corrida de 14 de julho poderão ser acompanhadas em direto a partir das 20h55.

Xavier Mestelan Pinon, Diretor de DS Performance, sublinha o facto de pela primeira vez desde a sua estreia na Fórmula E, a DS Automobiles estar em posição de conquistar os dois títulos: “Tem sido um dos objetivos do nosso programa de eletrificação desde que entramos no campeonato, por isso faremos tudo o que estiver ao nosso alcance para que isso aconteça. Chegamos a Nova Iorque com uma vantagem pontual e daremos o nosso melhor para a aproveitar ao máximo. No entanto, estamos a contar com corridas altamente competitivas em Nova Iorque, onde até mesmo o menor erro pode comprometer um título. Por isso, temos de fazer corridas inteligentes nestas duas rondas finais, de forma a chegarmos a bom porto. No entanto, a pressão recai agora claramente nos ombros dos nossos rivais”.

Félix da Costa vai lutar pelo 3º lugar

Para os portugueses, este ePrix de Nova Iorque tem ainda um outro polo de interesse, na medida em que António Félix da Costa (em BMWi Andretti Motorsport) chega aos EUA na quinta posição da geral. Embora esteja a 48 pontos do líder, encontra-se, porém, a apenas cinco pontos do terceiro lugar, posto ocupado por Mitch Evans (em Jaguar Racing), o que confere ao piloto nacional boas perspetivas de vir a estar no pódio da classificação geral individual.

António Félix da Costa (carro #28) e Alexander Sims (carro #27), ambos ao serviço da BMW i Andretti Motorsport.

Em simultâneo com o e-Prix de Nova Iorque, a Nissan, que também integra o pelotão da Fórmula E com a equipa  e.dams, vai apresentar o evento “CONVERGE”, um debate sobre o futuro da tecnologia, que decorre a 12 de julho no espaço Pioneer Works em Brooklyn.

Os líderes da indústria vão reunir-se para debater a forma como as aventuras do futuro serão amplificadas e eletrificadas através de tecnologias inovadoras e conceitos visionários.

A Fórmula E tem sido como um ‘laboratório a alta velocidade’

“A nossa temporada de estreia na Fórmula E tem-se revelado uma experiência de aprendizagem tremenda”, afirmou Michael Carcamo, diretor global de Motorsport da Nissan, marca que participa na Fórmula E com a equipa e.dams. “Tivemos a oportunidade de implementar na pista de competição muita da nossa experiência em automóveis de estrada elétricos, e a Fórmula E tem sido como um ‘laboratório a alta velocidade’ para nós. As lições que aprendemos, especialmente no âmbito da gestão energética, vão ajudar-nos a tornar os nossos automóveis de estrada ainda melhores”, salienta Carcamo.

___________________________________________

[atualização a 15/07/2019, com a classificação final da temporada, após as duas provas de Nova-Iorque]:

Após as duas corridas em solo americano, Jean-Éric Vergne sagrou-se campeão, sendo o primeiro piloto a conquistar o bicampeonato da categoria. Por equipas, o título foi para a DS Techeetah. O português Félix da Costa não conseguiu chegar ao pódio, ficando na 6ª posição da geral individual.
CLASSIFICAÇÃO FINAL DA TEMPORADA 2018/2019

Deixe um comentário

avatar
  Subscribe  
Notify of