A Uber e a Volvo Cars assinaram um acordo conjunto de engenharia em 2016 e, desde então, desenvolveram vários protótipos destinados a acelerar o desenvolvimento de automóveis autónomos.

Três anos depois, o fabricante sueco e a empresa de transporte a partir de plataformas eletrónicas apresentaram um veículo de produção desenvolvido em conjunto capaz de conduzir sozinho, sendo esse o próximo passo na colaboração estratégica entre as duas empresas.

O Volvo XC90 foi o modelo usado para desenvolver este sistema.

O SUV sueco foi apetrechado dos principais equipamentos de segurança que permitem que a Uber instale facilmente o seu próprio sistema autónomo, viabilizando a possível entrada em circulação de viaturas com total autonomia na rede da Uber como um serviço autónomo de partilha de veículo.

Os itens mais relevantes deste XC90 autónomo incluem vários sistemas complementares de apoio para as funções de direção e travagem, bem como a alimentação de reserva da bateria. Se algum dos sistemas primários falhar por algum motivo, os sistemas de backup são acionados para agir imediatamente para imobilizar o veículo.

Este modelo de produção autónomo dispõe, portanto, de sistemas de segurança redundantes, à semelhança do que ocorre num avião.

Adicionalmente a estes mecanismos de backup, diversos sensores integrados no veículo foram projetados com vista a que o sistema autónomo da Uber opere com segurança, designadamente em ambiente urbano.

Partilha de viagens sem supervisão

Quando combinado com a plataforma de veículos da Volvo, o sistema autónomo da Uber está habilitado a que, um dia, possa permitir um serviço de partilha de viagens de modo autónomo e seguro sem a necessidade da presença de um “Mission Specialist” (“Especialista em Missão”), os funcionários especiais da Uber para supervisionarem o veículo em áreas designadas e adequadas para a condução autónoma.

Este veículo de produção capaz de guiar sozinho é parte do acordo comercial da Volvo Cars com a Uber de 2016 para a entrega no futuro de dezenas de milhares de veículos autónomos tecnicamente preparados para a condução autónoma nos próximos anos.

“Em meados da próxima década, esperamos que um terço de todos os veículos que vendermos seja totalmente autónomo. O nosso acordo com a Uber reforça a nossa ambição de ser o fornecedor preferido das empresas líderes em viagens à escala mundial”, afirma Hakan Samuelsson, presidente da Volvo Cars.

“Trabalhar em estreita cooperação com empresas como a Volvo é um ingrediente fundamental para a construção efetiva de uma frota autónoma, segura e em escala”, diz Eric Meyhofer, CEO do Uber Advanced Technologies Group.

“Há muito que a Volvo é conhecida pelo seu compromisso com a segurança, que é a pedra angular do seu mais recente veículo de base autónomo, pronto para produção. Quando conjugado com a nossa tecnologia autónoma, este veículo desempenhará um papel de charneira no conjunto de produtos autónomos da Uber”, sublinha Eric Meyhofer, CEO do Uber Advanced Technologies Group.

A Volvo Cars estima utilizar um conceito similar de veículo de base autónomo para a introdução dos seus futuros veículos autónomos no início da década de 2020. Essas tecnologias, a serem introduzidas na próxima geração de modelos Volvo baseados na nova plataforma SPA2, irão incluir características concebidas para permitir a circulação autónoma de viaturas, sem supervisão, em áreas específicas, como autoestradas e estradas de circunvalação.

A Volvo Cars está convicta de que a condução autónoma pode gerar benefícios potenciais significativos para a segurança rodoviária para a sociedade como um todo, quando todos os automóveis um dia forem autónomos. Até esse momento, a tecnologia pode já oferecer aos condutores uma melhor experiência de condução, eliminando tarefas rotineiras, como é o caso dos fastidiosos para-arranca dos engarrafamentos.

Deixe um comentário

avatar
  Subscribe  
Notify of