No âmbito do programa “Smart Fossil Free Island” (de que aqui e aqui demos conta), o Governo Regional da Madeira criou, em 2018, a primeira “ilha inteligente” da Europa.

Baseada num inovador ecossistema elétrico, este projeto utiliza tecnologias inteligentes e sustentáveis para reforçar a independência energética de Porto Santo e promover a produção de energias renováveis na ilha, apostando na descarbonização da mobilidade.

Para esta colaboração, a Empresa de Electricidade da Madeira (EEM), entidade responsável pela produção, transporte e distribuição de eletricidade nas ilhas da Madeira e Porto Santo, escolheu o Grupo Renault como parceiro para a implementação das soluções de mobilidade elétrica baseadas em veículos elétricos, reutilização de baterias, carregamento inteligente (smartcharging) e carregamento reversível.

O projeto tem vindo a ganhar corpo.

Atualmente, circulam em Porto Santo 14 unidades do modelo Renault Zoe e seis Kangoo Z.E., usados diariamente por voluntários residentes na ilha. Destes 20 veículos elétricos, quatro Kangoo Z.E. circulam como táxi, dois Kangoo Z.E. efetuam serviços de transfer para unidades hoteleiras, um Renault Zoe encontra-se ao serviço da polícia local e outro da Empresa de Eletricidade da Madeira (EEM).

Um ano após o lançamento do projeto, a mobilidade elétrica já beneficiou 224 utilizadores e percorreu 212.520 km em território insular.

Os veículos são carregados de forma inteligente (smartcharging), graças às 40 estações de carregamento conectadas, privadas ou públicas, instaladas na ilha pela EEM e pelo Grupo Renault.

O Grupo Renault criou ainda duas unidades de armazenamento de energia estacionária, oferecendo uma segunda vida às baterias oriundas de veículos elétricos Renault (132 kW).

O objetivo consiste em armazenar a energia intermitente produzida pelas centrais solares e eólicas de Porto Santo, bem como em regular a voltagem, de forma a ajudar a estabilizar a rede. Esta energia verde é restituída à rede para responder às necessidades locais.

Carregamento bidirecional

Em março de 2019, dois veículos elétricos levaram ainda mais longe a interação com a rede e são agora capazes de fornecer eletricidade nos períodos de maior consumo. Porto Santo acolhe a primeira experiência realizada em grande escala para o carregamento bidirecional, de corrente alternada, de veículos elétricos, um projeto lançado pelo Grupo Renault.

Existem, atualmente, dois veículos Renault Zoe de carregamento bidirecional na ilha. Esta tecnologia, baseada num carregador reversível de bordo, reduz os custos das estações de carregamento associadas.

“Estes dois veículos de testes permitem avaliar as vantagens técnicas e económicas de uma solução assente no veículo elétrico, além de demonstrarem, na prática, o valor dos serviços fornecidos à rede de eletricidade local, nomeadamente a promoção do consumo de energia solar e eólica, a regulação da frequência ou da voltagem da rede e a redução dos custos com infraestruturas. Porto Santo tem a particularidade de ser a primeira ilha a reunir estes três sistemas e está no bom caminho para se tornar a primeira ilha do mundo sem energia proveniente de combustíveis fósseis”, destaca a Renault.

Com esta iniciativa na ilha de Porto Santo, o Grupo Renault quer construir um modelo capaz de ser replicado noutras ilhas, eco-bairros ou cidades.

O carregamento inteligente e o carregamento bidirecional irão registar um crescimento acelerado graças às campanhas de incentivo e “car-sharing” na zona. Através destas diversas soluções, a frota de veículos elétricos na ilha deverá aumentar rapidamente para 100 unidades, em 2020.

Em termos gerais, Porto Santo representa o empenho do Grupo Renault em estabelecer parcerias públicas e privadas para criar soluções de mobilidade sustentáveis e acessíveis a todos, em linha com a estratégia delineada pelo Grupo para assumir uma posição de força na área dos ecossistemas elétricos e no fornecimento de soluções inteligentes de mobilidade para as cidades do futuro.

Carregamento inteligente, Veículo-para-Rede e reutilização de baterias

Para além da aposta na comercialização de uma gama de automóveis elétricos, a estratégia do Grupo Renault consiste, também, em promover e desenvolver ecossistemas inteligentes de apoio à transição energética, que possibilitem a criação e a implementação de sistemas de mobilidade elétrica.

As redes inteligentes permitem desenvolver sistemas que assentam no carregamento inteligente (smartcharging) e nas interações Veículo-para-Rede (V2G ou carregamento bidirecional), promovendo, ainda, projetos de reutilização de baterias: 

Carregamento inteligente ou smartcharging: adapta o carregamento do veículo às necessidades do utilizador e à capacidade elétrica disponível na rede. O carregamento é mais eficaz quando a oferta de eletricidade é superior à procura, sobretudo nos períodos de maior produção de energias renováveis. O processo de carregamento é interrompido quando a procura excede a oferta de eletricidade da rede. A rede elétrica otimiza a oferta local de energias renováveis.

Sistema de carregamento Veículo-para-Rede (carregamento bidirecional): permite modular o carregamento e descarregamento da bateria do automóvel em função das necessidades do utilizador e da oferta de eletricidade disponível na rede. O carregamento atinge o seu nível máximo quando a oferta de eletricidade é superior à procura, nomeadamente durante os picos de produção das energias renováveis. Nesta lógica bidirecional, os veículos também são capazes de injetar eletricidade na rede durante os picos de consumo. Os veículos elétricos podem servir como unidades de armazenamento temporário de energia e assumir um papel fundamental na produção de energias renováveis. Desta forma, a rede de eletricidade, não só otimiza a oferta local de energias renováveis, como também reduz os custos da infraestrutura. Ao mesmo tempo, o cliente desfruta de um consumo de eletricidade mais ecológico e económico, obtendo ainda vantagens financeiras por contribuir para o abastecimento da rede elétrica.

Reutilização de baterias: mesmo depois da sua “vida automóvel”, a bateria de um veículo elétrico continua a ter grande capacidade de armazenamento e pode, portanto, ser reutilizada em ambientes menos exigentes, tais como estações de armazenamento de energia. A reutilização das baterias permite dar resposta a todas as necessidades de armazenamento de energia: desde as necessidades das habitações unifamiliares às dos edifícios comerciais, empresariais ou académicos, passando pelas necessidades dos edifícios residenciais e dos postos de carregamento de veículos elétricos.

 

 

Deixe um comentário

avatar
  Subscribe  
Notify of