A localidade holandesa de Utrecht é a cidade mundial mais amiga de bicicletas, de acordo com o “Bicycle Cities Index 2019”, índice elaborado pela seguradora digital Coya que perscrutou as condições para a circulação de bicicletas em 90 cidades em todo o mundo.

Foram analisados 16 indicadores agrupados em seis categorias principais: condições climatéricas, número de utilizadores de bicicleta, crime e segurança rodoviária, infraestrutura, compartilha e eventos.

Utrecht classificou-se no topo com uma pontuação de 77.84, tendo atrás de si no “top 10” sete outras cidades europeias: Münster (Alemanha), Antuérpia (Bélgica), Copenhaga (Dinamarca), Amesterdão (Holanda), Malmö (Suécia), Berna (Suíça) e Bremen (Alemanha), esta última a encerrar as “dez melhores” do mundo, com uma pontuação de 48.41.

 

Fonte: Statista. Fonte: Coya Bcycle Cities Index 2019

Por seu lado, Auckland (Nova Zelândia) e Hangzhou (China) são as únicas cidades não europeias a entrar neste “top 10”.

Lisboa é a única cidade portuguesa analisada entre as 90 metrópoles, ficando classificada na 63ª posição, com um “score” de 29.51. Está uma posição atrás de Londres (62ª da classificação, com 29.72) e uma posição à frente de Estocolmo (64ª com 29.46).

Estrasburgo é 12ª, Berlim é 20ª, Frankfurt ocupa a 24ª posição, Tóquio é 26ª, Genebra é 30ª, Paris é 32ª, Munique é 33ª, Viena é 34ª, Helsínquia é 35ª e Tel Aviv é 36ª.

A mais bem classificada cidade do continente americano é Montreal, no Canadá, no 18º lugar. Pequim figura no 38º posto.

As cinco piores cidades classificadas das 90 examinadas são Moscovo (Rússia), Tbilisi (Georgia), Banguecoque (Tailândia), Medellin (Colômbia) e Lagos (Nigéria), esta última a 90ª da geral, com 11.81 de pontuação.

Confira a classificação geral das 90 cidades:

Deixe um comentário

avatar
  Subscribe  
Notify of