Viseu reformulou a sua rede de transportes coletivos, colocando já a circular um conjunto de novos autocarros da frota MUV – Mobilidade Urbana de Viseu, alguns dos quais elétricos.

A reestruturação do serviço levou a que os STUV – Serviços de Transportes Urbanos de Viseu passassem a a MUV – Mobilidade Urbana de Viseu.

A rede MUV contempla, assim, 21 linhas radiais que trazem as pessoas das freguesias para a cidade, com os autarcas a garantirem que as causas que geraram descontentamento no início relativamente aos horários estão resolvidas.

Há duas novas linhas circulares na zona mais urbana da cidade, C1 e C2, que são compostas por oito miniautocarros, dois dos quais 100% elétricos, a passar de 20 em 20 minutos.

Suporte para bicicletas

Todos os autocarros de todas as linhas são passíveis de serem munidos com suporte para bicicletas na traseira, permitindo o transporte destes veículos de duas rodas de forma gratuita.

Os autocarros, que têm sistemas de wi-fi de livre acesso para usar a internet, possuem ainda sistema de GPS para que, através de uma aplicação no telemóvel, se saiba quanto tempo demorará o autocarro a chegar à paragem.

MUV na palma da mão

Estacionar automóveis particulares na cidade Viseu promete também ser mais fácil, graças a uma aplicação que estará pronta no final do ano, chamada “MUV na palma da mão”.

O intuito é que toda a cidade tenha o estacionamento sensorizado e, através dessa app, as pessoas possam efetuar não apenas o pagamento do estacionamento, como também ficar a saber quais os lugares que estão livres e em que ruas se encontram.

A funcionalidade irá permitir que o utilizador selecione o sítio onde está e o local para onde quer ir, recebendo a informação na aplicação de quais os meios de transporte mais indicados para esse percurso.

Por seu lado, o edifício do novo Centro de Operações de Mobilidade de Viseu (COMV) que vai nascer na atual central de camionagem, terá painéis solares para o sustentar. Toda a reformulação da obra, que inclui estacionamento para 190 viaturas e lugares para bicicletas e trotinetas elétricas, custará 4,6 milhões de euros. O seu prazo de execução é de 560 dias.

Até ao final do ano, Viseu deverá ainda ganhar uma ligação direta por transporte rodoviário à estação de comboio de Mangualde.

Deixe um comentário

avatar
  Subscribe  
Notify of