As ruas de Sanya, capital da Província de Hainan, China, vão receber mais uma corrida elétrica da Fórmula E, este sábado, 23 de março.

A prova vai disputar-se num dos principais mercados da mobilidade elétrica do mundo, a China, a qual representa cerca de metade do mercado global de veículos e carregadores elétricos.

E a bandeira portuguesa volta a estar presente, com o piloto Félix da Costa e com a Efacec, a qual não apenas está associada à equipa DS Techeetah Formula-E, como também tem vindo a expandir a sua atividade à Ásia.

Objetivo: 500 mil pontos de carga

A corrida pode ser vista no Eurosport 1, a partir das 06:45h deste sábado, 23 de março.

À noite, às 23h, também no Eurosport 1 é feito o rescaldo da prova.

De resto, talvez poucas pessoas saibam, mas em todo o território chinês havia mais de 400 mil estações de carregamento para viaturas de ligar à corrente, em 2017, “o que demonstra a aposta contínua no desenvolvimento de infraestruturas públicas e privadas neste domínio”, enquadra a Efacec, empresa portuguesa conhecedora do mercado chinês, para onde tem procurado  internacionalizar-se, particularmente no domínio da mobilidade elétrica.

Para o ano 2020, a intenção do Governo chinês é que nesta nação mais populosa do planeta passe a haver 500.000 estações públicas de carregamento para elétricos.

Curiosidades a propósito da prova de Sanya

O facto da China acolher esta 6ª prova do elétrico Campeonato de Fórmula E reveste-se de alguns apontamentos interessantes:

  • Sanya fica na ilha Hainan (a maior da China, com uma dimensão semelhante ao território belga) e é a 21ª cidade a ser anfitriã de uma corrida de Fórmula E;
  • A equipe da DS Techeetah Formula-E vai correr em casa;
  • Trata-se do regresso da Fórmula E à China continental desde a 2ª temporada desta competição 100% elétrica (depois de Pequim, em outubro de 2015), disputada em circuitos citadinos;
  • A prova de Sanya conta com 11 curvas, num traçado de 2,236 km que fica para a história pelo facto de ser o primeiro E-Prix a incorporar a travessia de uma ponte;
  • Um dos desafios da prova resulta da proximidade da praia, algo que poderá fazer variar o nível de aderência dos pneus ao longo do dia;
  • Na temporada atual de Fórmula E não há nenhum piloto chinês, contando-se dois o número de pilotos chineses que já correram na competição desde que arrancou em 2014/2015;
  • O piloto português António Félix da Costa (equipa BMW i Andretti Motorsport) chega a este Grande Prémio da China na 5ª posição com 47 pontos, menos 7 pontos que o líder da classificação, Sam Bird (Envision Virgin Racing).
  • A maior ponte do mundo fica na China, ligando Zhuhai, Macau e Hong Kong, estando equipada com carregadores rápidos Efacec EV (como demos conta neste artigo);
  • Hainan (onde se situa Sanya) comprometeu-se a ser a primeira província do sul da China a restringir, por completo e até 2030, viaturas com combustíveis fósseis das suas estradas;
  • Em contraste com algumas das mais poluídas cidades, Sanya é uma das zonas na China com ar mais limpo;
  • Hainan é conhecida como o “Havai da China”, sendo um destino turístico de praia;
  • Uma das unidades hoteleiras de luxo da zona é o Atlantis Sanya, uma torre de 52 andares, possui 900 metros quadrados de painéis solares e um do maiores aquários do mundo com mais de 280 espécies marinhas.
  • Cinco das 154 suites existentes neste hotel (cujo investidor é grupo chinês Fosun, que tem investimentos em Portugal e é principal accionista do BCP e da Fidelidade) têm vista para o aquário.

Deixe um comentário

avatar
  Subscribe  
Notify of