A Associação de Utilizadores de Veículos Elétricos (UVE) considera positivas as medidas de incentivo à aquisição de veículos elétricos que o Estado está a conceder este ano, através do Fundo Ambiental.

Ao Watts On, Henrique Sánchez, presidente da UVE, destaca o facto do valor global dos apoios estatais ter vindo a aumentar nos últimos anos, tendo-se fixado para 2019 nos três milhões de euros.

Contudo, o representante dos utilizadores de viaturas elétricas deixa o seu lamento pelo facto do incentivo não ser mais alto, de modo a que a ajuda à compra de automóveis elétricos por parte dos particulares “fosse semelhante ao que existe em Espanha, França ou Alemanha e que ronda os cinco mil euros”.

Benefícios equilibrados entre empresas e particulares

Ainda assim, o líder da UVE entende “que o aumento do incentivo dos particulares para 3000 euros, mantendo o das empresas em 2250 euros, faz sentido, ao mesmo tempo que as empresas passam a poder ter apenas quatro candidaturas ao incentivo, em vez de cinco. Isto, aliado ao teto de valor, fixado nos 62.500 euros, vai ajudar a equilibrar os benefícios entre os particulares e as empresas”, até porque no ano passado, as empresas beneficiaram de 71% do valor dos apoios, contra 29% para os particulares.

“Fazemos apenas dois reparos à apresentação das medidas”, faz saber Henrique Sánchez: “As medidas de apoio deviam ter sido divulgadas logo em janeiro, evitando agora uma corrida à entrega das declarações no Fundo Ambiental. E deviam ter sido mais claras, sobretudo quanto ao teto de valor admitido, particularmente no que diz respeito ao IVA (se está ou não incluído). Dessa forma, ter-se-ia evitado algum ruído que só penaliza o mérito da ação do Governo”.

1
Deixe um comentário

avatar
1 Comment threads
0 Thread replies
0 Followers
 
Most reacted comment
Hottest comment thread
1 Comment authors
Jorge Xavier Recent comment authors
  Subscribe  
newest oldest most voted
Notify of
Jorge Xavier
Visitante
Jorge Xavier

«“As medidas de apoio deviam ter sido divulgadas logo em janeiro, evitando agora uma corrida à entrega das declarações no Fundo Ambiental. E deviam ter sido mais claras, sobretudo quanto ao teto de valor admitido, particularmente no que diz respeito ao IVA (se está ou não incluído). Dessa forma, ter-se-ia evitado algum ruído que só penaliza o mérito da ação do Governo”.» Bem, as medidas FORAM divulgadas logo em Janeiro, porque derivam do OE para 2019. O que aconteceu foi que só agora foi publicada a regulamentação – um processo normal, portanto. Quanto a não ser “claro”: está tudo preto-no-branco… Read more »