Portugueses constroem Aldeias Solares em Moçambique

Com recurso a sistemas solares fotovoltaicos, a Fundação Galp inaugurou a sua primeira Aldeia Solar em Moçambique. Pela primeira vez a luz elétrica chegou à remota aldeia de Chissinguana.

0
226
Fundação Galp inaugurou a primeira Aldeia Solar em Moçambique.

A Fundação Galp, em parceria com o FUNAE – Fundo de Energia, inaugurou em Chissinguana, a sua primeira Aldeia Solar em Moçambique.

Chissinguana situa-se no distrito de Búzi, localizado na província de Sofala, Moçambique.

O projeto beneficia mais de 1.400 habitantes daquela comunidade com a eletrificação de 62 infraestruturas, incluindo residências, bancas de comércio, secretaria administrativa da aldeia, hospital e iluminação pública.

Trata-se da primeira fase do projeto “Energiza” que a Fundação está a levar a cabo no centro e norte do país.

Ao todo, no âmbito desta iniciativa, está prevista a montagem de quatro Aldeias Solares: duas em Sofala, uma em Cabo Delgado e uma em Manica.

Serão instalados sistemas solares fotovoltaicos e dado acesso a energia elétrica naquelas comunidades.

Esta é a primeira vez que a luz elétrica chegará a estas populações.

No conjunto das seis aldeias abrangidas, serão beneficiados seis mil moçambicanos que, desta forma, passam a ter assegurado um bem essencial em escolas, unidades de saúde e nas suas próprias casas.

O investimento, de 600 mil euros, vai gerar aproximadamente 50 KWh de energia elétrica de origem renovável, marcando uma nova era naquelas seis aldeias que não tinham acesso a energia.

“Tendo em conta que 64% dos moçambicanos vive em zonas rurais e sem acesso a energia, projetos desta natureza têm um forte impacto na vida das comunidades, não só do ponto de vista social mas também no desenvolvimento da própria economia local”, aponta a Fundação Galp.

“Projetos como o Energiza, em Moçambique, são o espelho fiel da missão que defendemos na Fundação Galp – energia que cria futuro. Neste caso, ao presenciar a mudança estruturante que estamos a fazer nestas comunidades e nestas pessoas, sinto-me especialmente orgulhosa por podermos contribuir de forma tão premente”, refere Joana Garoupa, diretora-geral da Fundação Galp.

Referindo apostar num futuro energético mais sustentável, a Fundação Galp assume o compromisso de continuar a desenvolver projetos que visam o acesso universal a fontes de energia limpa.

Deixe um comentário

avatar
  Subscribe  
Notify of