É tempo de Natal e, dentro de uma semana, tempo de festejos de Ano Novo.

Sendo uma época de feroz consumo, a associação Zero desafia os cidadãos a aplicar, desde já, as futuras regras europeias sobre plásticos descartáveis, lançando dicas e conselhos para umas Festas Felizes e mais ecológicas.

Fazendo o tema da ecologia e da sustentabilidade parte também do ADN do Watts On, decidimos partilhar as reflexões ambientais para esta quadra festiva deixadas por esta associação (cujo conteúdo agradecemos), apelando também para um consumo responsável e em prol da sustentabilidade de recursos naturais.

O quebra cabeças da árvore e decorações

Se, por acaso, já tem uma árvore artificial em plástico, reutilize-a o mais possível, repare-a se necessário, mas não a deite fora. Não é reciclada e o plástico contém, habitualmente, retardadores de chama que podem ter impactos muito negativos na nossa saúde e no ambiente. Reutilização também é a palavra de ordem para as decorações de Natal.

Se está à procura de uma árvore e de decorações pela primeira vez, então opte por simplesmente apanhar alguns ramos, usar madeiras de paletes ou criar uma coroa para decorar o seu Natal. Também pode adquirir um pinheiro em vaso, caso tenha condições para o manter ao longo do ano. Irá trazer o espírito natalício à sua casa de uma forma mais sustentável.

O Natal é uma época cheia de brilho, mas sabia que as purpurinas consistem na verdade em pequenos pedacinhos de plástico que vão parar à nossa água e ecossistemas? Este ano use alternativas biodegradáveis ou utilize outros materiais alternativos. Há poucos anos desconhecíamos a existência de tal artigo, pelo que podemos ter festas radiosas sem purpurinas, certo?

E já agora, sabe que a neve falsa utilizada por muitas pessoas nas decorações de Natal é feita principalmente de polímeros? Tem a certeza que a quer em casa? Para criar o efeito neve utilize algodão (biológico, claro) e não se esqueça de o guardar para voltar a usar no próximo ano.

No que toca a luzes, opte pelas LED e não se esqueça de as desligar sempre que sair de casa ou da divisão e também à noite. O ambiente ganha, a sua carteira fica mais recheada e a sua casa fica mais segura.

Acabar com as prendas inúteis

Se não sabe que prenda oferecer, um produto comestível (como, por exemplo, uma lata de chá biológico, um vinho ou chocolates artesanais) é uma boa garantia de sucesso.

Também pode oferecer algo feito por si. Umas bolachas, bolinhos ou bombons caseiros em frascos reutilizados são uma hipótese. Oferecer fotos memoráveis ou frases inspiradoras numa moldura feita por si, reutilizando materiais que tenha em casa, também pode ser uma bela surpresa para quem recebe.

Comprar presentes em segunda-mão pode ser uma excelente opção em termos ambientais e económicos. Muitos bens em segunda-mão encontram-se em condições semelhantes aos produtos novos e são muitas vezes vendidos a menos de metade do preço. No entanto, tenha atenção aos materiais plásticos, especialmente no que toca a brinquedos e a utensílios de cozinha. Em alguns casos, podem conter substâncias que atualmente se encontram proibidas.

Ainda em busca de presentes? Vá às compras na sua própria casa. Certamente tem presentes que lhe foram oferecidos e que nunca utilizou ou irá utilizar. Porque não oferece-los a alguém que poderá vir a dar-lhe um destino útil? Dá um novo uso a um recurso e evita a “loucura” das compras de última hora.

E agora a mesa!

Planeie as refeições dos dias de festa – véspera de Natal, Natal, Passagem do Ano, Ano Novo e Reis – e faça uma lista dos ingredientes que precisa antes de ir às compras. Não se esqueça de articular a sua lista com a dos outros convidados. Assim evitará comprar mais do que aquilo que necessita, o que lhe permitirá não só poupar dinheiro como também evitar o desperdício alimentar.

Nas suas compras para as refeições de Natal e Ano Novo prefira produtos a granel ou pouco embalados (e principalmente que não estejam embalados em plástico). Atualmente já existem muitas lojas de venda a granel. Faça uma pesquisa na Internet para descobrir a que lhe é mais próxima. Opte também por comprar produtos locais e, no caso dos produtos alimentares, da estação do ano e de agricultura biológica.

Nos seus jantares e almoços festivos utilize sempre utensílios reutilizáveis (pratos, copos, talheres, etc.) antecipando, desde já, as proibições que vêm a caminho por via da legislação europeia para combater o problema dos plásticos.

Cozinhou comida a mais? A palavra de ordem é “não desperdiçar”! O que sobrou pode ser reutilizado noutros pratos. A melhor forma de conservar as sobras sem que estas entrem em contato com substâncias prejudiciais é utilizar recipientes feitos de vidro, de cerâmica ou de aço. Dentro do possível, evite recipientes em plástico, em particular se está a guardar comida com gordura ou se pretende aquecê-la.

O Ano Novo!

Para aqueles que não irão passar o ano em casa e vão, por exemplo, a uma festa ou jantar, podem levar um copo reutilizável para evitar usar os de uso único, recusar palhinhas ou levar uma pessoal. Para quem prefere uma festa caseira, a lógica da reutilização é a mesma, quer nos copos, pratos, etc, quer nas decorações.

Ano novo, vida nova! E porque não definir como primeiro projeto do ano deixar de desperdiçar os bioresíduos que produz em casa? Faça (ou compre) um compostor e passe a aproveitar os resíduos orgânicos, produzindo composto  (terra nova) para usar no seu jardim ou horta. Pode não parecer, mas é um processo bastante simples e natural.

Para a noite da passagem do ano, prepare um conjunto de frases com possíveis compromissos ambientais para o novo Ano. Coloque-as num frasco de vidro e peça a cada uma das pessoas com quem está a partilhar o momento que retire um papel. Este pode ser um primeiro passo rumo a um ano mais sustentável.

Deixe um comentário

avatar
  Subscribe  
Notify of