Já são conhecidos as três startups vencedoras da 3ª edição do Protechting, o programa de captação e aceleração de startups, promovido pela Fidelidade e Fosun.

São elas, a CRIAM, a Wall-I e a CopSonic.

Tipo de sangue identificado

A portuguesa CRIAM desenvolveu um dispositivo médico portátil que identifica o tipo e subtipo de sangue de forma rápida (cerca de três minutos), possibilitando depois a deteção de doenças.

A inovação deu-lhe a distinção da startup com o melhor modelo de negócio e um prémio monetário de 10 mil euros.

Sinal de TV digital e protocolo contactells

As 12 startups finalistas do programa Protechting de 2018 foram: Humanoo, Rnters e Gistek (na área de Insurtech), Copsonic, Spinanalytics e Wall-I.TV (na área de Fintech) e Medicsen, Skinsoul, Criamtech, Cardiamo, Baylifetech e Tmass (na área de Healthtech).

A Wall-I (sistema operativo de sinalização digital baseado em cloud) e a CopSonic (protocolo de comunicação contactless que permite segurança digital, deteção inteligente e conectividade IoT entre dispositivos eletrónicos) foram igualmente distinguidos.

Estes três projetos vencedores vão agora integrar um roadshow na China, em dezembro, podendo, com isso, ter acesso a alguns dos maiores investidores do mundo.

O programa Protechting foi desenhado para ajudar empreendedores a desenvolverem os seus projetos que melhorem a proteção depessoas e património. Tem por trás a Fidelidade e a Fosun, com o apoio da Luz Saúde e do banco alemão Hauck & Aufhäuser (H&A). A Beta-i também é parceira.

Deixe um comentário

avatar
  Subscribe  
Notify of