A Região Autónoma dos Açores vai ganhar 16 Postos de Carregamento Rápido (PCR). A adjudicação dos contratos de concessão de serviços de exploração de PCR de Mobilidade Elétrica aconteceu na última semana, em Ponta Delgada.

Para a Secretária Regional da Energia, Ambiente e Turismo (SREAT), esta rede é “mais um passo” para ir ao encontro dos “compromissos europeus que a Região assumiu no sentido de aumentar a representatividade das fontes de energia renováveis e endógenas no sistema electroprodutor”.

A adjudicação destes PCR ocorre sete meses depois do Governo dos Açores ter lançado o concurso público para a concessão de 26 pontos de carregamento, abrangendo todos os concelhos do arquipélago. Pode ver os termos do concurso público aqui.

Marta Guerreiro explica que, em breve, vai ser lançada a “segunda fase do concurso, que visa a aquisição, montagem e manutenção dos pontos de carregamento concessionados nesta primeira fase”.

Dos 16 PCR atribuídos, 10 foram entregues à Galp. Essa dezena de PCR adjudicados ao consórcio Galp Açores/Galpgest estarão situados nas ilhas de São Miguel (4), Terceira (2), Pico (1), Faial (1), São Jorge (1) e Flores (1), estimando-se que a instalação dos mesmos se inicie ainda no primeiro trimestre de 2019.

Os outros seis PCR foram entregues à Mobiletric. Três desses postos irão localizar-se em São Miguel, um em Santa Maria, um na Graciosa e um em São Jorge.

Haverá mais 10 PCR entregues aos municípios

O governo açoriano tinha ainda colocado a concurso outros dez lotes, os quais acabaram por não ser entregues “quer por não assegurarem as especificidades dos requisitos mínimos exigidos, quer por ausência de candidaturas”, declara Marta Guerreiro. A SREAT dá conta, porém, que o Governo dos Açores irá contratualizar “a sua exploração junto das câmaras municipais”.

Até 20 de novembro, encontra-se em consulta pública o PMEA – Plano para a Mobilidade Elétrica nos Açores, um documento que a Secretária Regional da Energia, Ambiente e Turismo classifica como “estruturante” nas políticas públicas “com vista à massificação do veículo elétrico”. O PMEA está disponível no Portal do Governo, aqui, podendo os interessados enviar os seus contributos para o email dren@azores.gov.pt.

“A mobilidade elétrica é uma estratégia prioritária da política regional pelas melhorias económicas e ambientais, uma vez que, através deste desígnio, os açorianos deslocam-se de forma segura, confortável e a baixo custo, ao mesmo tempo que assumem um papel ativo na redução das emissões de gases com efeito de estufa para a atmosfera”, diz Marta Guerreiro.

Para a governante, é importante que todos sejam “conhecedores dos impactos positivos que os veículos elétricos vão trazer à operação do sistema elétrico dos Açores, bem como a potencial sinergia com a produção de eletricidade a partir de fontes de energia renováveis e endógenas”, fazendo com que a mobilidade elétrica seja atualmente “o meio mais eficaz para a promoção da sustentabilidade no setor dos transportes terrestres, sem recurso a combustíveis fósseis”.

Marta Guerreiro adiantou que o Executivo açoriano “está a conceber um quadro de incentivos financeiros, sob a forma de subsídio não reembolsável, bem como incentivos de natureza fiscal, fomentando, deste modo, a adoção da mobilidade elétrica”.

Marta Guerreiro salientou que, “tendo em consideração que os percursos efetuados diariamente na região são relativamente pequenos face à crescente autonomia das baterias dos veículos elétricos e à evolução tecnológica no setor, os Açores irão destacar-se no contexto dos espaços insulares europeus no que diz respeito a soluções para a mobilidade elétrica”.

Deixe um comentário

avatar
  Subscribe  
Notify of