Cada vez mais automóveis poderão, em breve, passar a vir equipados com tejadilhos com painéis fotovoltaicos, como forma de obtenção e poupança de energia.

Embora não seja inédita, a solução pode vir a difundir-se entre cada vez mais construtores, sendo disso exemplo o facto da Hyundai e da Kia estarem a trabalhar em protótipos deste género de tejadilhos, podendo, entre 2019 e 2020, começar a montar este tipo de tecnologia nalguns dos seus modelos. Não há, porém, indicação sobre quais os primeiros modelos que poderão acolher a solução.

Modelos de outras marcas

O problema de tetos solares está no facto de gerarem relativamente pouca eletricidade e seguramente insuficiente para garantir uma independência energética às viaturas elétricas.

A Toyota tinha já uma opção no anterior Prius PHEV de um teto fotovoltaico, o qual gerava 50 W, sendo essa energia canalizada para o funcionamento das ventoinhas do ar condicionado.

Na década de 1980, a marcante série de desenhos animados franco-japonesa “As Misteriosas Cidades de Ouro” (em francês “Les Mystérieuses Cités d’or”) imaginava meios de transporte propulsionados pela energia do sol: o navio Solaris e o avião Grande Condor.

O navio Solaris
O Grande Condor

Também a Fisker tinha uma opção idêntica no plug-in Revero e, igualmente, no seu caso a produção energética era limitada.

A própria Ford, no início de 2014, tinha revelado um C-Max Solar Energi Concept, em Las Vegas, no  Consumer Electronics Show.

Aumentar autonomia

Apostado que está em introduzir este tipo de sistema, o Grupo Hyundai Kia pretende que a energia criada a partir do sol seja acrescentada às baterias para ajudar a propulsionar o veículo, diminuir consumos e, eventualmente, até aumentar, embora sempre ligeiramente, a autonomia do modo elétrico.

Três tipos de células solares

Nesse âmbito, a Hyundai e a Kia estão a desenvolver três diferentes tipos de células solares para todo o género de veículos, desde os próprios modelos com motores de combustão interna até aos 100% elétricos, passando pelos híbridos.

Híbridos, os primeiros

Em termos de etapas de desenvolvimento, a primeira geração do sistema deverá ser aplicada em híbridos, por volta de 2019 ou 2020. Neste caso, o sistema será capaz de carregar de 30 a 60% da pequena bateria que cada um destes modelos transportará, durante o seu trajeto num dia típico, dependendo das condições climatéricas.

Reduzir emissões nos veículos a combustão

A segunda geração da tecnologia será para aplicar nos tejadilhos de modelos elétricos ou em viaturas com motores a gasolina ou a gasóleo, com o papel, neste último caso, de auxiliar a diminuir as emissões poluentes. A estrutura de painéis solares de silício a colocar no topo dos automóveis é semi-transparente, podendo ser combinada com um tejadilho de vidro.

Células fotovoltaicas em todo o lado

A terceira geração da tecnologia fotovoltaica, mais aperfeiçoada e leve, será vista exclusivamente em veículos elétricos (BEV). O Grupo Hyundai Kia trabalha na possibilidade de, nesta terceira etapa de desenvolvimento, as células solares poderem ser instaladas em qualquer parte do veículo, desde o teto até ao capot ou portas. Num figurino desses, a tecnologia solar poderia viabilizar uma produção pelo próprio carro de 100 Wh por cada hora de exposição ao sol.

O responsável pelo desenvolvimento da tecnologia do fabricante coreano, Jeong-Gil Park, explica que “no futuro, esperamos ver muitos diferentes tipos de tecnologias geradoras de eletricidade integradas nos nossos veículos. O teto solar será uma dessas tecnologias e significará que os automóveis deixarão simplesmente e de uma forma passiva consumir energia, mas também começarão a produzir ativamente eletricidade. É um desenvolvimento entusiasmante para nós, desenharmos uma tecnologia para os proprietários dos automóveis que os ajudem a mudarem de simples consumidores de energia para produtores de eletricidade”.

Deixe um comentário

avatar
  Subscribe  
Notify of