Os resultados de vendas da Tesla no terceiro trimestre deste ano surpreenderam muitos analistas. Mesmo aqueles que seguem o barómetro que a Bloomberg criou para acompanhar a produção do Model 3.

O construtor não divulga dados de produção, o que obriga a um exercício de recolha de registos que, diga-se, tem permitido à Bloomberg andar muito próximo dos números que são divulgados no final de cada trimestre.

A evolução na produção do Model 3 tem sido quase exponencial: 9766 unidades no primeiro trimestre deste ano, 28 578 no segundo e 53 239 no terceiro.

Quanto ao trimestre passado, a empresa Atherton Research afirma que a Tesla vendeu 69 925 unidades das suas três gamas: Model S, X e 3 no mercado americano.

Trata-se de um resultado extraordinário, que supera os 66 542 automóveis de passageiros que a Mercedes-Benz vendeu no mesmo mercado em igual período.

Este indicador coloca a Tesla muito próximo da liderança de vendas no segmento premium — a BMW vendeu 71 679 unidades nos últimos três meses — dominado pelos construtores germânicos há vários anos.

A Atherton Research prevê que, a este ritmo, também a BMW será ultrapassada no último trimestre do ano.

Sucesso com gama reduzida

A Tesla conseguiu estes resultados com uma oferta reduzida de apenas três modelos: S, X e 3, enquanto os seus concorrentes dispõe de gamas completas, com SUV, descapotáveis e segmentos muito distintos, das pequenas berlinas aos modelos desportivos.

O modelo de entrada da marca é atualmente o Model 3 Long Range, que custa 44 000 dólares, sendo que o preço médio está bem acima dos 50 000 dólares.

Tanto a BMW como a Mercedes-Benz têm modelos de entrada cujo preço inicial é pouco superior aos 30 000 dólares.

Estes resultados são, por isso, tanto mais encorajadores, porquanto se pensa que estará para breve o lançamento do Tesla Model 3 “Base” nos próximos meses. Se a Tesla cumprir o que prometeu — e não há motivo, até agora, para duvidar — o preço base será de 35 000 dólares.

Mesmo que o valor médio desta versão se estabeleça um pouco acima dos 40 000 dólares, não será difícil vaticinar um sucesso ainda maior para o Model 3 e para a Tesla nos próximos trimestres.

Ofensiva na Europa em 2019

Apesar de ter até aqui ultrapassado obstáculos que nenhum construtor tradicional enfrentou nos últimos 100 anos, a Tesla continua a ter muitos testes pela frente.

A chegada à Europa do seu produto de maior volume, o Model 3, será mais um passo nessa afirmação. A apresentação ainda a versão americana no Salão de Paris no início deste mês, foi um começo. Até ao fim do ano são esperados os primeiros exemplares de demonstração.

As primeiras entregas a clientes europeus podem ser realizadas ainda no primeiro trimestre de 2019.

Se este processo correr bem e o ritmo de produção continuar a aumentar de forma sustentada, será expectável um sucesso de vendas semelhante ao registado nos EUA.

Quase todos os construtores europeus têm anunciado vários modelos elétricos para breve, mas a sua entrada no mercado pode ser tardia para contrariar o avanço da Tesla.

Além disso, com poucas excepções, a maioria dos modelos anunciados não apresentam vantagens tecnológicas face aos modelos que a Tesla já está a produzir.

Outro elemento digno de nota prende-se com a rede de supercarregadores que a Tesla já tem instalados na Europa. São já mais de 400 estações, cinco das quais em Portugal.

Destinados a proporcionar carregamentos muito rápidos, proporcionam aos proprietários Tesla uma forma eficiente de viajar por todo o continente europeu.

Além disso, a Tesla já anunciou que lançará em breve o seu SUV de tamanho médio, o Model Y. A expectativa do construtor é de que este modelo possa ter vendas a rondar o milhão de unidades anuais.

Obstáculos ao sucesso

Apesar deste percurso que parece agora caminhar de forma mais sustentável para o sucesso, há ainda algumas questões substanciais por resolver, antes da Tesla se tornar um construtor generalista.

Tal prende-se com a assistência pós-venda, muitas vezes marcada por tempos de espera de peças de substituição muito substanciais. Tal aconteceu, por exemplo, no maior mercado da Tesla per capita, a Noruega. Em julho passado surgiu a notícia de que os 11 service centers da marca não conseguiam dar resposta à impressionante frota nacional de 26 000 Tesla em circulação. A situação parece, entretanto, ter sido parcialmente resolvida.

O investimento na criação de áreas de assistência aos veículos da marca — próprias ou através de parcerias — e formação de técnicos especializados tem que ser incrementada de forma robusta.

Deixando de ser uma marca de nicho — dirigida a um público entusiasta, disponível para relativizar algumas limitações — a Tesla precisa de ir o encontro do público comum, que não quer esperar um ano ou sequer seis meses pelo seu novo automóvel, ou alguns meses por uma peça.

Preços estimados do Tesla Model 3 em Portugal

Numa projeção realizada no mês de julho, o Watts On e o Tesla Club de Portugal estimaram que o Tesla Model 3 “base” (50 kWh) teria um preço a rondar os 41 000 euros (cerca de 47 000 euros, se tiver o Interior Premium).

Uma das versões imediatamente disponíveis será o TM3 “Long Range” (75 kWh), com preço a rondar os 57 000 euros. O TM3 Dual Motor deverá arrancar com um valor próximo dos 62 000 e o topo de gama Dual Motor Performance, começará nos 75 000 euros. 

Estes três valores são uma extrapolação dos preços nos EUA — comparados com os valores lá e cá dos Model S e X — onde estas versões estão ser comercializadas com o Premium Interior.

1
Deixe um comentário

avatar
1 Comment threads
0 Thread replies
0 Followers
 
Most reacted comment
Hottest comment thread
1 Comment authors
Dani Recent comment authors
  Subscribe  
newest oldest most voted
Notify of
Dani
Visitante
Dani

A Tesla continua a inovar e a mudar o paradigma da mobilidade eléctrica.

O mundo automóvel nunca mais será o mesmo. Estão a conquistar os EUA, estamos ansiosos para que façam o mesmo na Europa!