Durante o salão de Paris, o CEO da Renault fez saber a conhecer que o Clio (quinta geração a mostrar em março) terá uma versão híbrida.

Carlos Ghosn revelou igualmente que as novas gerações do Captur e do Mégane terão, cada qual, a sua derivação plug-in, ambas a vender em 2020.

Essas variantes PHEV receberão a designação na Renault de e-Tech, garantindo autonomias em modo 100% elétrico de 50 km e emissões combinadas abaixo de 50 g/km de CO2.

Plataforma nova virá para a Europa…

A Renault mostrou, paralelamente e ainda no contexto do Salão de Paris, um novo crossover urbano elétrico. Dá pelo nome de Renault K-ZE e, embora ainda seja um concept, é um protótipo que sofrerá muito poucas alterações para o modelo que, em 2019, entrará na linha de produção.

O K-Ze será “Made in China”, fruto de uma “joint venture” que a Renault tem com a Dongfeng e a eGT New Energy Automotive.

O veículo será fabricado na República Popular da China, mercado que o receberá já para o ano, em primeiro lugar. A Europa não deve vir a ter o modelo.

Sabia que…
… se o Renault Samsung Motors SM3 Z.E. for somado ao Zoe, Twizy, Kangoo Z.E. e Master Z.E., este K-ZE será o 6º veículo elétrico Renault a ser lançado?

No entanto, tendo presente que a plataforma deste K-ZE é nova e o construtor gaulês pretende generalizá-la a mais modelos, pode, perfeitamente suceder que o conceito deste crossover de segmento A possa vir a ganhar uma outra forma, também elétrica, no Velho Continente, dentro de uns três anos. É um assunto cuja evolução merece ser acompanhada, portanto.

Este modelo pode ser visto como a versão 100% elétrica do pequeno Kwid (aliás, a letra “K” pretende fazer a associação a Kwid), garantindo 250 km de autonomia, de acordo com o ciclo NEDC (com o protocolo WLTP poderemos estar a falar de 190 km). Na China, o plano é colocar o K-ZE a um preço acessível, sem que tenha sido, porém dada a indicação de que valor possa ser esse.

Deixe um comentário

avatar
  Subscribe  
Notify of