A partir de 2019, na Europa e nos EUA todos os automóveis elétricos novos irão ser obrigados a emitir um som artificial que avise da sua presença.

A medida abrange todos os veículos que possam ser propulsionados por um motor elétrico, cujo peso seja inferior a 4,5 toneladas, o que incluirá os híbridos, híbridos plug-in e com célula de combustível (carros a hidrogénio).

No continente europeu, todos os carros elétricos novos (homologados) deverão cumprir esta medida a partir de julho de 2019, sendo obrigatória em todos os modelos em 1 de julho de 2021.

Nos EUA, esta obrigatoriedade é para aplicar a partir de setembro de 2019.

O sistema é designado “Acoustic Vehicle Alerting Systems” (AVAS) ou “Sistema de aviso sonoro de veículo”.

Segundo o Regulamento Europeu, o alerta sonoro deve ser emitido pelos veículos quando circulem a uma velocidade inferior a 20 km/h e em marcha-atrás (nos EUA, esse limite será fixado nos 30 km/h), podendo, ainda assim, ser desconectado pelo condutor através de um botão ou interruptor (“função pausa”), no caso das autoridades (designadamente as locais) pretenderem proibir nalgumas áreas o uso deste género de sistemas (para garantir que haja silêncio).

Uma vez ultrapassada essa velocidade, o sistema de aviso sonoro é automaticamente desligado, voltando a ativar-se quando o carro arranca de novo.

Segundo estudos realizados pela american NHTSA (National Highway Traffic Safety Administration), os EV têm 19% mais de probabilidades de causar um acidente a baixas velocidades que um carro com motor de combustão interna, devido á ausência de ruído.

Por seu lado, os modelos dotados de um motor de combustão (caso, portanto, dos híbridos) desligarão esse som de aviso quando o propulsor a gasolina ou a gasóleo (mais audíveis) comece a trabalhar.

De acordo com a normativa europeia, o som deve ser similar “ao de um veículo da mesma categoria equipado com um motor de combustão interna”. O som – prossegue a norma – deve ainda ser contínuo e apresentar um volume suficiente para alertar os peões e outros utentes para a presença da viatura.

Por fim, os fabricantes poderão oferecer ao condutor a possibilidade de personalizar o seu alerta sonoro, escolhendo entre diferentes tipos de som.

Não se pode dizer que este tipo de mecanismos seja propriamente novo em EV, já que, desde 2011, os carros elétricos dispõem de sistemas de alerta acústico artificiais. A novidade está em tornar obrigatória esta funcionalidade pensada nos peões.

Clique aqui para ver com mais detalhe o que Bruxelas preparou.

1
Deixe um comentário

avatar
1 Comment threads
0 Thread replies
0 Followers
 
Most reacted comment
Hottest comment thread
1 Comment authors
Dani Recent comment authors
  Subscribe  
newest oldest most voted
Notify of
Dani
Visitante
Dani

Isto é um pouco ridículo.

Em primeiro lugar, não há grandes estudos que mostrem que os carros eléctricos silenciosos são mesmo um problema.
Em segundo lugar, em vez de melhorar o barulho nas cidades, vai torná-las mais barulhentas… o que tem malefícios comprovados na saúde da população!!

Se estão preocupados com os pedestres, mais valia que obrigassem todos os carros a terem sistema de detecção de pedestres com travagem automática!