Tesla Model 3 bate recorde de pista do BMW M3

0
762

O especialista de preparação automóvel Mountain Pass Performance, tem dado alguma atenção ao Tesla Model 3. Travões maiores e afinações de suspensão foram algumas das melhorias que introduziram nos últimos tempos.

Todavia, a sua mais recente conquista revelou as qualidades dinâmicas do TM3, ainda antes de a Tesla revelar o seu Modo Circuito. Depois de várias tentativas, conseguiram desligar o controlo de estabilidade e o controlo de tração, mantendo em funcionamento o ABS.

Criaram deste modo um Modo de Circuito artesanal, que transforma por completo o comportamento do Model 3 em circuito. As definições de fábrica estão apontadas para maximizar a segurança e a tração. E, quando os sensores indicam que se estão aproximar dos limites de aderência, cortam o acelerador.

Mas os pilotos conseguem ser mais rápidos se tiverem mais controlo e puderem explorar melhor os limites do automóvel. Mesmo que os ultrapassem momentaneamente, o resultado final é sempre mais rápido.

Recorde batido

Assim que conseguiram controlar o software da Tesla relativamente àqueles dois sistemas, rumaram à pista de Cayuga, integrada no complexo do Toronto Motorsport Park, no Canadá.

As alterações não só permitiram ensaiar umas belas atravessadiças, como proporcionaram uma volta cronometrada onde fica bem patente que o Tesla Model 3 tem tudo para ser um excelente carro de corrida.

Quando o cronómetro parou, após os três quilómetros do traçado de Cayuga, apresentava 1m18,9s. O valor diz-nos pouco, mas o record oficial para a sua categoria pertence ao BMW M3 e é de 1m20,3s.

Agora vem a parte melhor: é que o Tesla Model 3 utilizado pela Mountain Pass é um “banal” Long Range, com apenas um motor, ligado às rodas traseiras por um diferencial aberto (sem ter sequer um diferencial autoblocante).

Tanto o TM3 Dual Motor como o TM3 Performance serão certamente mais rápidos, com um track Mode que permita explorar todas as suas potencialidades.

Os responsáveis da Mountain Pass Performance confirmaram que a utilização intensa no circuito não teve qualquer efeito negativo na temperatura das baterias.

E têm esperança de que a Tesla permita continuar a desenvolver software específico para a utilização desportiva das várias versões do Tesla Model 3.

Veja o vídeo para compreender as conclusões a que chegaram.

Deixe um comentário

avatar
  Subscribe  
Notify of