A IFE by Abilways e a Câmara Municipal do Porto realizam já dia 4 de julho, na Fundação Dr. António Cupertino de Miranda, a primeira edição do MOB Lab Congress, um evento que vai reunir profissionais dos setores dos Transportes, Tecnologia, Energia, Telecomunicações, Ambiente e Inovação para, juntos, co-desenharem o futuro.

Cristina Pimentel, Vereadora dos Transportes, Fiscalização e Proteção Civil da Câmara Municipal do Porto, explica que os sistemas de mobilidade do futuro devem focar-se na “possibilidade de escolha” e na resposta às “necessidades” dos utentes.

Que iniciativas têm planeadas no município do Porto no âmbito da Mobilidade?

O Município do Porto procura responder de forma rápida e integrada às exigências que a evolução económica e social da cidade nos coloca. Para tal, socorre-se dos mais variados instrumentos que estão ao seu alcance:

  • Melhoria das acessibilidades para todos os cidadãos e das condições de segurança tanto a nível rodoviário como pedonal;
  • Melhoria das condições de conforto e segurança no acesso à rede de transporte público;
  • Passagem da gestão da STCP para os seis municípios, para garantir um planeamento de oferta de transportes públicos mais ajustado;
  • Gestão do estacionamento à superfície e em parques municipais estrategicamente localizados;
  • Criação de Zonas de acesso automóvel condicionado;
  • Gestão integrada da mobilidade e segurança, com a participação dos principais players em grandes eventos;
  • Regulamentação dos circuitos turísticos regulares;
  • Implementação de um novo sistema de gestão de tráfego;
  • Construção do Terminal Intermodal de Campanhã;
  • Rede de interfaces intermédios para garantir perfeita articulação entre transporte pesado de passageiros e o transporte público urbano;
  • Implementação de corredores de autocarros de alta qualidade – com prioridade ao transporte público. Elevadas condições de conforto e oferta de serviço;
  • Ligações mecanizadas para apoio a deslocações pedonais entre cota alta e cota baixa – criação de três ligações mecanizadas – Miragaia; Palácio de Cristal; e Virtudes;
  • Gestão do estacionamento on/off street;
  • Gestão do acesso em zonas da cidade de forma dinâmica e ajustada às necessidades reais.

Atualmente, o que procuram os utentes/munícipes como soluções de mobilidade?

Cada vez mais, os munícipes são mais exigentes e procuram soluções ajustadas às suas necessidades. Segurança, conforto, rapidez, flexibilidade de soluções de transporte e disponibilidade de informação são sempre pontos de grande relevância.

Onde gostavam de estar no futuro? Como vê a mobilidade no município do Porto no futuro?

O sistema de mobilidade do Porto, no futuro, deverá ser fluído e com grande ênfase na possibilidade de escolha e combinação de modos de transporte apropriados às necessidades. Não se pretende forçar a escolha dos cidadãos nas suas opções diárias de deslocação, mas sim permitir um sistema de base com várias opções de qualidade, que garanta sempre escolhas eficazes e sustentáveis.

Através uma oferta de transporte público adequada e fluída, com rebatimentos eficazes e em condições de conforto, com a disponibilização de meios complementares à deslocação e boas condições para o recurso a modos suaves sempre que possível, garantindo ainda condições adequadas de estacionamento onde necessário. Neste futuro é prioritário garantir as condições de segurança necessárias à circulação e coexistência de modos de transporte.

Esta e outras questões serão desenvolvidas na primeira edição do MOB Lab Congress no dia 4 de julho. Mais informações através do site oficial, aqui.

O Watts On vai ser parceiro de divulgação do evento, pelo que iremos acompanhar a sua preparação e conclusões nas próximas semanas.

Deixe um comentário

avatar
  Subscribe  
Notify of