O CEO da McLaren, Mike Flewitt, pretende trazer a tecnologia híbrida para a próxima geração dos seus “monstros do asfalto”.  Flewitt explica que a tecnologia eletrificada será incorporada nos McLaren aquando da sua projeção de raiz dos modelos em vez de a adicionar posteriormente: “O design híbrido faz parte da próxima plataforma”, declara Flewitt. “É projetado desde o primeiro dia em vez de termos de adaptar um chassis existente”.

O fabricante inglês planeia, inclusive, oferecer unicamente modelos híbridos na maioria das suas gamas de produtos, tornando os McLarens convencionais (entenda-se: exclusivamente com motores de combustão interna) apenas como edições limitadas.

O conjunto propulsor que estará equipado nos superdesportivos McLaren híbridos mais vendidos deve apresentar um V6 turbo. O próximo hypercar BP23 já terá um motor elétrico aliado a um V8 de 4 litros twin-turbo.

Flewitt avança ainda que os futuros McLaren terão capacidades de condução autónoma, o que não deixa de ser interessante num construtor muito direcionado para o condutor. O homem forte da McLaren explica a sua posição. referindo que “a autonomia por si só não é atraente para os nossos clientes, mas [a tecnologia da condução autónoma] traz-nos recursos em termos de segurança, legislação e emissões”.

O primeiro modelo McLaren a ser substituído por um sucessor híbrido será o 570S, modelo de acesso à gama, previsivelmente em 2019. O substituto com eletrificação do 720S chegaria em 2022.

Deixe um comentário

avatar
  Subscribe  
Notify of