O principado de Mónaco é o segundo país mais pequeno do mundo (atrás do Vaticano), tendo 36 mil moradores residentes nesta cidade-Estado de escassos dois quilómetros quadrados.

É um destino turístico por excelência, implantado à beira do Mediterrâneo, na glamourosa Riviera Francesa.

Foi um dos primeiros países a abraçar uma política de reflorestação como forma de preservar a sua identidade.

Agora, o Principado procura dar mais um passo em termos de sustentabilidade e preservação ambiental, lançando mão a algumas soluções inteligentes. Aqui sintetizamos cinco:

1. Transporte público atrativo
Manter os bilhetes de autocarro da cidade a um custo razoável de 2 euros levou a um incremento de 20% dos passageiros de bus. O Mónaco também aumentou a frequência dos serviços de transporte público, incluindo à noite. Também as carreiras dos autocarros podem ser rastreadas em tempo real, graças à exibição de informações em ecrãs de última geração presentes nas paragens de autocarro. A aposta no transporte público levou ainda a que durante as horas e ponta, de manhã e ao final da tarde, o TER (comboio expresso regional) passe a cada 15 minutos, constituindo um meio de transporte rápido e conveniente para os 38 mil funcionários franceses e italianos que trabalham nestas terras da família Grimaldi.

2. Planos para fontes de energia renováveis
Até 2020, o Mónaco assumiu o objetivo de reduzir as emissões de gases de efeito estufa em 20% em relação aos seus valores de 1990. Outro propósito do Principado passa por diminuir o consumo de energia e produzir 20% da sua energia a partir de fontes renováveis. Nesse domínio, as bombas de calor de água do mar já ajudaram a produzir 17% da energia desta nação, economizando 15 mil toneladas de petróleo por ano.

3. E-bikes e partilha de automóveis
Em termos de transporte privado, o Principado montou um esquema de bicicletas elétricas partilhadas (com 105 e-bikes em 17 locais) e um serviço de car-sharing designado Mobee (composto por uma frota de 25 veículos elétricos) que podem ser reservados e localizados com uma app. Para incentivar à mobilidade elétrica, o estacionamento para EV e híbridos é mais barato ou mesmo gratuito, caso este seja feito num dos 574 pontos de carga em parques disponíveis ao público.

4. Recolha de resíduos urbanos simplificada
A recolha do lixo no Mónaco é feita de forma eficiente, já que é feita através do recurso a caixotes subterrâneos e um sistema de coleta de resíduos de vácuo. O lixo é incinerado, com uma fábrica situada no distrito de Fontvieille (bairro criado a partir de terras conquistadas ao mar e onde se situa o estádio de futebol Luís II do Mónaco) a recuperar a energia dos resíduos, a qual é usada ​​para ajudar a produzir aquecimento, arrefecimento e eletricidade.

5. Qualidade do ar vigiada
O departamento ambiental do Mónaco arrancou com um programa de mapeamento da qualidade do ar, com a instalação de um total de 52 sensores.

Esses sensores irão medir diferentes poluentes (como NO2, SO2 e hidrocarburetos) numa primeira fase durante um mês no inverno (até final de fevereiro) e numa segunda fase durante outro mês no verão (a empreender entre o meio de junho e o meio de julho). O intuito é perceber qual é, efetivamente, o impacto da poluição rodoviária e da combustão fóssil no ar que se respira no Principado.

A partir daí, os responsáveis do Principado tencionam traçar outros programas de estímulo a formas de mobilidade sustentável, imprescindível quando se vive numa área de dois quilómetros quadrados de extensão.

 

Deixe um comentário

avatar
  Subscribe  
Notify of